fbpx
Cambridge University - Como fazer um mestrado na Inglaterra

O que preciso saber para fazer um mestrado na Inglaterra

Passado o susto inicial do novo coronavírus e controladas (sometimes) as emoções geradas pelas incertezas da pandemia, parte da população, com mais tempo em casa, tem aproveitado o isolamento social para atualização profissional, desenvolvimento de novas habilidades e, por que não, sonhar com uma pós-graduação no Reino Unido?

A Inglaterra é conhecida não apenas por sua família real, como também por ser um dos centros intelectuais do mundo. Com universidades medievais, como Oxford e Cambrigde, fundadas em 1096 e 1209 respectivamente, o país é berço de algumas das maiores personalidades da história, como:

  • William Shakespeare (1564–1616) – Escritor e dramaturgo;
  • Sir Isaac Newton (1643–1727) – Físico e matemático;
  • Charles Darwin (18091882) – Naturalista e criador da Teoria da Evolução;  
  • Stephen Hawking (1942 – 2008) – Astrofísico; e
  • J.K. Rowling – (1965) – Escritora da série Harry Potter

O ensino no país é sinônimo de qualidade e tradição, e com um pouco de organização e planejamento, o sonho de cursar uma pós-graduação no exterior pode tornar-se realidade.

Atualmente curso um mestrado em Londres, e por isso, as dicas a seguir serão dedicadas aos profissionais e estudantes que também sonham com uma pós-graduação na Inglaterra. Desde 01 de Janeiro de 2021, O Reino Unido não faz mais parte da União Europeia, e com isso, algumas regras ainda podem estar em fase de alteração e implementação.

Quanto custa um curso na Inglaterra?

O preço de um curso superior no Reino Unido é considerado elevado até mesmo para os padrões europeus.

Os valores de um mestrado para um estudante internacional podem variar entre £12,000 – £35,000 ao ano, conforme prestígio e tradição da universidade. Um MBA (Master of Business Administration), pode ser ainda mais caro e as médias variam entre os £15,000 e £25,000, podendo chegar a £45,000 ao ano nas Top Business Schools do país (Ex. LSE, Universidade de Oxford e Universidade de Cambridge).

Os masters tem a duração média de 1 ano para os programas full-time e 2 anos para os programas part-time. Os cursos são ministrados integralmente em inglês, e por conta do idioma e dos altos valores, é necessário um planejamento médio de 6 a 12 meses.

Taylorian Library, Oxford University - Como fazer um mestrado na Inglaterra
Taylorian Library, Oxford University

A boa notícia é que o Governo Britânico não mede esforços para atrair estudantes internacionais ao país, e as universidades possuem um processo seletivo bastante estruturado, o que facilita o planejamento e a admissão dos estudantes.

Processo para fazer um mestrado na Inglaterra

Os cursos, em sua maioria, tem o ano letivo iniciado em Setembro.

Algumas universidades e cursos já realizam processos seletivos e admissão de estudantes também em janeiro. Da aplicação à Universidade até o início das aulas, o processo pode demorar de 3 a 6 meses. Lembrando que quanto antes o estudante se aplicar, maiores serão suas oportunidades de bolsa de estudos!

As universidades britânicas possuem seus próprios programas de bolsa de estudos e oferecem anualmente scholarships, parciais ou integrais, de acordo com o desempenho acadêmico do canditado. Diversas empresas internacionais, com sede no Brasil e Europa, também já realizam parcerias com universidades no UK e algumas bolsas globais podem ser consultadas através da página Study UK, do British Council. Por isso, tempo e planejamento (pessoal e financeiro) são essenciais no processo de aplicação e após a aprovação do candidato à Universidade.

O governo britânico também oferece opções de financiamento estudantil aos jovens que aqui pretendem estudar. Contudo, devido ao Brexit, opcões de financiamento e scholarship para estudantes internacionais ou membros da EU, encontram-se suspensos ou podem ter sofrido alterações. Todos os detalhes podem ser verificados na página Gov.uk – Funding and financing for students.

Requisitos para se candidatar às universidades inglesas

Há duas formas de se candidatar às universidades inglesas, a primeira delas é diretamente com a Universidade escolhida, ou através do UCAS (University and College Admissions Service) — serviço online de admissão das universidades inglesas. A vantagem de utilizar o UCAS, é que o estudante poderá se candidatar em até 5 universidades e cursos diferentes pela plataforma. Os documentos de admissão para os cursos de mestrado e MBA na Inglaterra, de forma resumida, são:

  • Exame de proficiência língua inglesa (IETLS – com médias que variam entre 6.5 e 7.5, ou TOEFL);
  • Histórico acadêmico (ensino médio/secundário e graduação);
  • Personal statement (carta de motivação do canditado);
  • Cartas de recomendação/ referências profissionais e acadêmicas;
  • Currículo (resumo das experiências profissionais e/ou acadêmicas).

As documentações e exigências podem variar de uma Universidade para a outra, assim como a rigorosidade do processo. As Universidades em geral, avaliarão não apenas o desempenho acadêmico, como também as habilidades profissionais e motivações do canditado. Portanto, não desanime ou sinta-se intimidado com o processo, sempre haverá um curso ou uma universidade ideal para cada candidato.

Vistos e Permanência

Em geral, o valor do curso será a maior despesa para a qual o estudante deverá se programar. No entanto, estudar em uma universidade no Reino Unido possui um custo elevado e é fundamental que o estudante realize um planejamento financeiro para isto. Neste planejamento deverão constar não apenas os custos de moradia no país, como tambem as despesas relacionadas ao processo de aplicação, como:

  • Custos de tradução juramentada da documentação solicitada (se houver);
  • Exame de proficiência; e
  • Vistos — Cidadãos europeus (com entrada no UK até 01/01/2021 e direito de permanência no Reino Unido, não precisam de visto). Os demais estudantes (brasileiros e europeus), que pretendem realizar um curso de graduação ou cursos superiores a 11 meses, precisarão aplicar para o Student Visa.

O tempo de permanência no país concedido ao estudante de pós-graduação varia de acordo com o tempo do curso. Um estudante que pretende realizar um master ou MBA na Inglaterra com duração de 1 ano (full-time), por exemplo, poderá ter sua permissão de residência (student visa) por até 2 anos. E a excelente notícia é que para muitos cursos de pós-graduação, os estudantes também terão a possibilidade de trabalhar até 20h/semanais (durante o período de aulas), e até 40h/semanais, durante as férias oficias da Universidade. O total de horas pode variar conforme curso e Universidade, porém, esta é mais uma vantagem para auxiliar o estudante a se manter financeiramento no país durante o curso.

O Reino Unido, a partir do verão de 2021, contará ainda com um enorme diferencial que será a possibilidade de permanência por mais 2 anos dos estudantes internacionais que desejam ter uma oportunidade de trabalho no país (mediante a aplicação de um novo visto). Os estudantes internacionais que concluírem com sucesso sua gradução, pós-gradução ou PhD a partir desta data, poderão permanecer de 2 a 3 anos no país para trabalhar, ou procurar trabalho após a conclusão satisfatória do curso. O The graduate route foi divulgado em 2019 e será lançado em breve.

Ainda vale a pena fazer uma pós-graduação na Inglaterra?

Sem sombra de dúvidas, minha resposta é sim! Mesmo com todas as incertezas trazidas pela pandemia e a atual saída do Reino Unido da União Europeia, caso você opte por iniciar o curso online (em seu país) e futuramente vir para a Inglaterra, as previsões para o segundo semestre (fingers crossed) são positivas. Fazer um intercâmbio ou morar em um outro país, é uma expêriencia transformadora por si só, e concluir uma pós-gradução na Inglaterra, abrirá portas ao profissional por todo o mundo! Acredito que a experiência não acrescentará somente do ponto de vista profissional, mas principalmente pessoal.

Confira também: 9 ótimos motivos para morar em Portugal

O estudante estará em um ambiente multicultural e aprenderá sobre diversidade e novas culturas – o que na minha opinião, não pode ser quantificado. Preparados para um 2021 de muito estudo? Bons estudos e boa sorte!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *