fbpx

Investimento para iniciantes: Tudo que você precisa saber

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on reddit
Share on whatsapp
Share on pinterest
Investimento para iniciantes

Começar a investir pode parecer muito difícil e provavelmente, você já fez algumas buscas sobre investimento para iniciantes, certo? Bom, aqui nesse artigo nós vamos te explicar de uma forma simples e direta tudo o que você precisa saber antes de entrar no mundo do investimento. 

Mesmo que você não queira investir e pense que isso é apenas para as  pessoas ricas, talvez seja bom saber um pouco mais sobre o mercado, seus termos e algumas dicas podem ser de grande valor para a sua vida financeira. E assim, você  entenderá que investimento é possível, mesmo com pouco dinheiro. 

Para começar, precisamos definir alguns termos comumente utilizados, você certamente já leu ou escutou alguns, mas você realmente sabe o que eles significam?


O que são ações?

Se imaginarmos as empresas como livros, podemos dizer que as ações são as páginas, ou seja, elas são partes importantes que formam uma história, um livro. 

Saindo das analogias, ações ou também, papéis representam uma pequena parte da empresa, o que significa que, quando você compra uma ação, você passa a ser dono desse pequeno pedaço, e esses pedaços podem ser comprados por qualquer pessoa.

Então, quanto mais pedaços você tiver, mais responsabilidades você tem pela empresa e obviamente, mais retorno financeiro. 

Mas vale lembrar, que só é possível comprar ações de empresas que estão devidamente cadastradas na Bolsa de Valores.

Então, para entender um pouco mais de investimento para iniciantes, quando falamos de ações, também precisamos falar um pouco sobre o mercado que é dividido entre mercado primário e mercado secundário

Mercado primário 

No mercado primário, o termo mais importante é IPO que significa, Initial Public Offering, traduzindo, Oferta Pública Inicial, que é quando a empresa coloca suas ações para comercialização pela primeira vez na bolsa de valores, nas demais vezes, o termo utilizado é follow ons ou emissão secundária de ações. 

Nessa comercialização, a intermediação é feita pela corretora e após a venda das ações, o dinheiro é repassado para a empresa, que pode utilizar dele para desenvolvimento interno.

Mercado secundário

Após as ações serem ofertadas e compradas pelos investidores nas alternativas anteriores, outra comercialização só é possível através do mercado secundário, onde ocorre a venda e compra das ações entre os investidores.

Nessa comercialização, o lucro vai para o investidor que vendeu ação e não para a empresa ao contrário do mercado primário.

Sabia que para além dos tipos de mercado, também existem tipos de ações diferentes? Vou falar brevemente sobre elas.

Conheça os tipos de ações

Ações Ordinárias (ON)

Os detentores das ações ordinárias têm poderes relevantes nas decisões da empresa, desde participação em assembleias gerais a votações. Seu poder é diretamente proporcional à quantidade de ações ordinárias que você detém. 

O código que identifica as ON vem sempre com o número 3 no final.

Por exemplo: ABV3 (Ambev) MGLU3 (Magazine Luiza)

Ações Preferenciais (AP)

Essas ações não oferecem ao detentor a possibilidade de tomar decisões na empresa, entretanto, quando falamos de lucros e compensações, os detentores das ações AP são os que recebem primeiro ou seja, são os que têm preferência. 

O código que identifica as OP vem sempre com o número 4 no final.

Por exemplo: PETR4 (Petrobras) ABV4 (Ambev)

O que são fundos imobiliários?

Agora que você já sabe um pouco mais sobre ações, entender o que são fundos imobiliários é essencial para quem deseja começar a investir.

Fundos imobiliários (FII) são voltados a aplicações de empreendimentos imobiliários, ou seja, shoppings, prédios comerciais, hospitais etc. É uma aplicação coletiva, muitas pessoas podem investir no mesmo fundo e um gestor é responsável por organizar para onde o dinheiro será direcionado. As parcelas do patrimônio são repartidas entre os investidores(cotistas) na forma de cotas.

Esse é um investimento longo prazo, ou seja, não é para um retorno imediato, leva em torno de 2 a 3 anos para obter lucro. Além disso, é também um investimento variável, podendo oscilar na valorização e desvalorização das cotas. 

Assim como as ações, os FII também tem tipos, os fundos de tijolo e os fundos de papel são os dois principais do mercado.

Fundos de tijolo

O investimento é feito em empreendimentos imobiliários físicos, ou seja, que já foram construídos ou que estão em finalização. Novamente, é um investimento variável, pois uma das principais características desse investimento é buscar a valorização do patrimônio a longo prazo.

Fundos de papel

Ao invés dos imóveis, o investimento em fundos de papel é em títulos financeiros do mercado imobiliários que são comprados pelos cotistas, os tipos de fundo de papel são os CRI (Certificado Recebíveis Imobiliários) e LCI (Letras de Crédito Imobiliário), nesse caso, o lucro está relacionado ao rendimento desses títulos. 

O que são dividendos?

Os dividendos são uma parte dos lucros líquidos das empresas compartilhados pelos acionistas. Esse compartilhamento é diretamente proporcional à função do acionista na empresa e a quantidade de ações que ele possui.

Essa é uma das formas encontradas pelas empresas para recompensar seus acionistas e também atrair ainda mais investidores.

Embora exista uma lei ( Lei n 6.404 de 1976) que obrigue as empresas compartilharem seus dividendos com os acionistas, não existe um percentual obrigatório, dessa forma, fica a critério da empresa, mas normalmente, aqui no Brasil, o percentual compartilhado é de 25%.

Leia também: Você sabe o que são dividendos de ações?

O que é e para que serve uma corretora?

Se você pretende se mudar, alugar ou comprar uma nova casa, você provavelmente entra em contato com uma corretora imobiliária, que é responsável por fazer a mediação entre você e o dono do imóvel ou um possível comprador, certo? Com a corretora de valores não é muito diferente disso, em resumo, a principal função de uma corretora de valores é fazer a mediação do investidor com a empresa ou da empresa com o investidor, através da Bolsa de Valores.

Além dessa função de intermediar compra e venda de ativos financeiros, as corretoras de valores também oferecem, títulos públicos federais, títulos de créditos privados e entre outras.

O Banco Central autoriza essas instituições e a fiscalização, fica por conta da CVM (Comissão de Valores Mobiliários)

Por trás de uma corretora existe toda uma equipe preparada para lidar com o mercado de investimento, contando com economistas que são responsáveis por estudar e analisar minuciosamente o mercado. Além disso, há também uma equipe responsável pela criação de conteúdo sobre investimento para orientar da melhor forma seus clientes, facilitando ainda mais para aqueles que desejam iniciar no mundo dos investimentos.

Após adquirir familiaridade com  alguns desses termos básicos,  é muito importante também, definir alguns pontos que podem te ajudar a começar a investir de uma maneira mais segura. São passos simples, mas que juntos, fazem toda diferença.

Quatro dicas de investimento para iniciantes:

  1. Organize as Finanças:

Pode parecer óbvio, mas é importante organizar suas finanças para começar a investir, afinal, você não terá como retirar uma parte de sua renda, por menor que seja, se sua vida financeira não estiver minimamente organizada. Por isso, essa é uma das principais dicas de investimento para iniciantes.

 2. Tenha uma reserva de emergência

Após organizar sua vida financeira, criar uma reserva de emergência é também um dos passos mais importantes para quem deseja começar a investir. Até porque, assim como você não pode começar a investir sem planejamento, você também não conseguirá bons resultados se a cada imprevistos precisar retirar todo seu dinheiro investido para arcar com as despesas.

Uma boa reserva financeira varia de acordo com seus gastos, mas o ideal é que seja um valor possível de  manter seu padrão de vida por no mínimo 6 meses, caso você perca sua renda. Claro que você pode juntar esse dinheiro investindo, mas é necessário ter em vista que esse é um investimento de longo prazo. 

 3. Defina objetivos

Se você pensa em investir, certamente você já tem em mente seus objetivos, mas é sempre bom deixar eles os mais definidos possível. Pense porque você quer começar a investir, qual a finalidade desse dinheiro e o porquê você precisa dele. Faça uma lista e detalhe bem, começando dos objetivos mais prováveis aos mais distantes de sua realidade atual. 

Por exemplo, se seu objetivo é juntar dinheiro suficiente para fazer aquela viagem dos sonhos, detalhe o quanto você vai gastar em cada parte, desde compras de passagem até gastos durante a viagem. 

Se você quer começar a investir para adquirir um imóvel ou carro próprio, especifique qual o valor mínimo, o que você gostaria que tivesse, qual modelo do carro ou qual localização do imóvel.

Traçar seus objetivos vai te manter sempre motivado a seguir investindo, além de também ser uma maneira de se organizar.

 4. Identifique  seu perfil de investidor

Uma das frases mais escutadas por aí é “ nem todo mundo é igual!” E isso  também se aplica quando falamos de investimentos, sabia que existe perfil de investidor? Sim, e quando falamos de investimento para iniciantes, não podemos deixar de explicar os três tipos conservador, moderado, arrojado ou agressivo.

Conheça os perfis de investidor

1. Perfil conservador

É aquele investidor que não gosta de arriscar, preferem investimentos que ofereçam um baixo risco.

Normalmente investindo em Renda Fixa e com uma rentabilidade mais baixa.

2. Perfil moderado

O famoso meio termo, é aquele investidor que oscila entre o conservador e o arrojado, ele até está disposto a correr riscos, mas não muito. Sua rentabilidade pode ser mais alta do que a de um investidor conservador e menor do que a de um investidor agressivo. Normalmente, seu investimento é em renda fixa e em opções que ofereçam um risco moderado. 

3. Perfil arrojado ou agressivo

É o oposto do conservador, esse investidor está aberto aos riscos, preferem investimentos que ofereçam uma maior rentabilidade, normalmente investindo em renda variável. 

Ao falar de investimento para iniciantes, esse talvez, não seja o melhor perfil, pois requer um pouco mais de experiência.

Conclusão

Por fim, entrar no mundo dos investimentos requer muito estudo e dedicação, mas não muito dinheiro como muitos pensam. Aqui neste artigo trouxemos alguns dos termos mais utilizados no mercado financeiro, para que você fique familiarizado ao iniciar nessa jornada.

Desmistificando o senso geral, é possível começar investindo pequenos valores até ter um maior conhecimento e confiança, basta escolher uma corretora, iniciar seu planejamento e descobrir seu perfil de investidor. 

Agora que você já sabe tudo sobre investimento para iniciantes, ficou com alguma dúvida? Conta pra gente aqui nos comentários

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on reddit
Share on whatsapp
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *